Menu
Citri proRESI

Mais reciclagem e o fim dos microplásticos

2018/9/10

O plástico barato e duravel é amplamente utilizado, mas a sua crescente popularidade tem sido acompanhada por uma crescente quantidade de resíduos de plástico e lixo marinho, que afeta o meio ambiente e a saúde das pessoas.

Todos os anos, são geradas cerca de 26 milhões toneladas de plástico na União Europeia. Menos de 30% é reciclado, sendo que algum é exportado para países não comunitários para tratamento. O resto vai para aterro, é incinerado, ou acaba na natureza, incluindo praias, florestas, rios e mares.

Numa tentativa de combater a poluição provocada pelo plástico, a Comissão Européia propôs uma estratégia de combate ao plástico com o objetivo de garantir que até 2030 todas as embalagem de plástico possam ser reutilizadas ou recicladas, e de redução do consumo de plásticos de utilização única e a utilização de micro-plásticos.

Mark Demesmaeker, membro belga do ECR, é o deputado europeu responsável pela condução desta estratégia no Parlamento. O seu relatório sugere a proibição de micro-plásticos intencionalmente adicionados em cosméticos, produtos de higiene pessoal, detergentes e produtos de limpeza até 2020, bem como conteúdo mínimo de reciclagem para alguns produtos de plástico, e padrões de qualidade para plásticos reciclados. Ele também propoe que as empresas utilizem menos micro-plásticos quando produzem produtos como têxteis, pneus, tintas e pontas de cigarro.

Este eurodeputado disse que está na hora da União Europeia agir: "Até agora temos terceirizado os nossos problemas de resíduos plásticos para países como a China e a China decidiu recentemente proibir todas as importações de resíduos de plástico da UE, pelo que temos que agir agora, temos para inovar, temos que investir ".

A Comissão de meio ambiente votará este relatório na quinta-feira 13 de setembro.

Além disso, os deputados do Parlamento Europeu estão atualmente a debater uma proposta de proibição de certos plásticos de utilização única, como talheres, pratos e paus para balões, bem como a necessidade das empresas de embalagem de mercadorias contribuírem para o custo da limpeza de plásticos descartaveis. A votação em plenário deste assunto deve ocorrer em outubro.

Sabe mais aqui - Link